David Mitchell, co-escritor de Matrix Resurrections, tratou o próximo filme de Keanu Reeves como subversivo e não exatamente uma sequencia da trilogia original [via HH].

“Assisti ao filme em Berlim em setembro. É realmente bom. Não posso dizer do que trata este filme, mas poderia explicar o que não é. Certamente não é mais uma sequência, mas algo autônomo que contém no entanto os três Matrix que o precederam de uma forma realmente engenhosa. É uma criação muito bonita e estranha. Também atinge algumas coisas que não vemos em filmes de ação, o que significa que subverte as regras dos sucessos de bilheteria.”

Quando Matrix foi lançado pela primeira vez em 1999, surpreendeu o público e a crítica com seus efeitos, cenas de ação e história. Duas sequências foram lançadas em 2003, com uma resposta reduzida do público, embora o segundo filme tenha se tornado o filme com classificação R de maior bilheteria de todos os tempos até o lançamento de Deadpool.

Sinopse: “Em um mundo de duas realidades – a vida cotidiana e o que está por trás dela – Thomas Anderson terá que escolher seguir o coelho branco mais uma vez. A escolha, embora seja uma ilusão, ainda é a única forma de entrar ou sair da Matriz, que é mais forte, mais segura e mais perigosa do que nunca”.

Dirigido por Lana Wachowski a partir de um roteiro que ela co-escreveu com Aleksandar Hemon e David MitchelMatrix Resurrections é estrelado por Keanu Reeves, Carrie-Anne Moss, Yahya Abdul-Mateen II, Jonathan Groff, Toby Onwumere, Eréndira Ibarra, Neil Patrick Harris, Jessica Henwick, Priyanka Chopra, Andrew Caldwell e Brian J. Smith.

Veja também, outras críticas nossas:

O filme Matrix Resurrections está programado para chegar aos cinemas em 21 de dezembro de 2021.

By Amauri Alves

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante (...) Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo