A quarta temporada de Star Trek: Discovery chegará nas próximas semanas à Netflix e a estrela da série, Sonequa Martin-Green – a Michael Burnham – falou sobre a nova posição ocupada pela sua personagem, o posto máximo na USS Discovery, e como isso poderá impactar a trama.

Isso muda toda a dinâmica do programa porque sempre vimos essa história pelos olhos de Burnham e você sempre foi capaz de ver esse tipo de jornada para cima, mas também para dentro“, disse Martin-Green ao CB. “E então eu sempre soube que esta era uma jornada para a cadeira de capitã, mas todos nós éramos apaixonados por vê-la merecer, afinal Burnham estava pronto para isso. Posso ligar de volta para tantas conversas diferentes que tive que Michelle gentilmente teve com sobre isso, sobre Burnham estar pronto para aquela cadeira e ter que aprender esta lição ou aquela lição ou ter que lidar com esse trauma ou resolver isso ou ser absolvida daquilo para realmente sentar naquela cadeira e fazer isso para as necessidades do muitos e não as necessidades de alguns ou as necessidades de um. Portanto, na história, a expectativa, é enorme e adoro que lhe dêem uma imagem completa. É quase como uma pintura completa agora, porque você vê essa capitã que conhece tão bem, e vê essa tripulação que conhece tão bem, agora operando juntos.”. 

Burnham se sente confiante nesta nova posição? Quando questionada, Martin-Green disse que qualquer sensação de síndrome do impostor que possa ter surgido ao assumir o comando está bem no passado de Burnham.

A síndrome do impostor nunca teve tanto efeito como na primeira temporada para Burnham, mas agora, é bem diferente“, explica Martin-Green. “Eu acho que vimos essa mulher progredir para um lugar relativamente interessante em sua própria vida, em seu coração, em sua maturidade.”

Veja também as críticas de:

A trama dá sequência aos eventos da última temporada, após a Discovery viajar a um futuro ainda mais distante – e nunca antes explorado na franquia – e descobrir que uma catástrofe destruiu a Frota Estelar. Desvendada a causa do desastre cósmico, os novos episódios tratam de restabelecer a Federação, uma utopia interplanetária concebida na primeira série da franquia, “Jornada nas Estrelas” (“Star Trek”) em 1966.

Além de Sonequa, o elenco volta a contar com Doug Jones, Anthony Rapp, Mary Wiseman, Wilson Cruz, Emily Coutts, Oyin Oladejo, Patrick Kwok-Choon, Tig Notaro e os recém-chegados David Ajala, Blu del Barrio, Ian Alexander e Oded Fehr.

Os novos episódios estreiam em 18 de novembro nos EUA, mas ainda não há confirmação do lançamento no Brasil, onde a série é disponibilizada pela Netflix.

By Amauri Alves

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante (...) Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo