Animações… A coisa começou para crianças, noutro momento, assumiu a fase de transição e hoje, os programas multicoloridos podem ser destinados a todas as faixas etárias. Por onde isso começou, é realmente um grande mistério. Não sabemos. Mas, o que se sabe é que tais produções encantam, divertem e tem boas lições para todos nós. SING 2 da Illumination Entertainment é mais uma bela amostra disso, e por sorte regada a um ótimo card de músicas.

A sequencia da Universal Pictures tem uma proposta clara ao espectador comum, debater o verdadeiro o sentido da vida – o amadurecer com responsabilidade. Passamos pela vida e assumimos compromissos diários, do menor ao maior, evoluir é a saída. Buster Moon quer mais nessa adaptação. Ele acredita que podemos ser mais. esbarrará nas limitações impostas por terceiros, a baixa capacidade de ferramentes e seu pior inimigo, ele mesmo. O que isso não reflete o nosso modo de viver?!

Em nossa história, Moon desejará um novo desafio: Apresentar um musical num das cidades mais importantes do seu universo. Impulsionado pela singularidade de seus amigos e colegas de trabalho, ele terá que lidar com seu novo investidor do show Jimmy Crystal  e trazer a existência, o ermitão e astro pop, o leão Clay Callowey.

Com traços incríveis, a animação possui uma bela história: O que podemos colocar como o ponto mais alto da produção. Como musical que não propõe o original, obviamente o longa terá em sua trilha músicas que fizeram ou fazem sucesso – causando de cara certa simpatia pelo público. Daí também o ligeiro problema com SING 2, o filme não deixa respirarmos a trama – uma música atrás da outra, o que pode incomodar alguns. No entanto, para quem já assistiu o primeiro, sabe que esse é o DNA da franquia e deve, mais uma vez, funcionar com o público em geral.

As versões legendadas e dubladas contam com grandes astros no comando e isso é bem atrativo para o fã do gênero. Com boa direção de Garth Jennings, SING 2 se estabelece como franquia, podendo em algum momento, chegar as telinhas através de várias séries derivadas – afinal, há personagens encantadores que merecem ser explorados. SING 2 é superior anterior, e sem sombras de dúvidas, podemos alçá-lo como PURO ENTRETENIMENTO.

 

Classificação:

Leia algumas críticas nossas:

O longa da Universal Pictures, SING 2 chegará aos cinemas em 6 de janeiro de 2022.

By Amauri Alves

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante (...) Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo

2 thoughts on “Sing 2 (2021) | Crítica”

Comments are closed.