House of the Dragon/HBO max - Reprodução

A primeira série derivada do universo de Game of Thrones, House of the Dragon chegará a HBO max esse ano e o ator John Bradley, que interpretou Samwell Tarly na série original, falou sobre as expectativas sobre o novo programa.

Haverá uma certa qualidade agridoce nisso“, disse Bradley ao CB. “Eu acho que é um pouco como, quando você muda de casa e volta para sua antiga casa e outras pessoas se mudaram e depois redecoraram e mudaram as coisas e a tornaram sua e você simplesmente não se sente envolvido nisso… Será como ver outra pessoa morando na sua casa.

Bradley também se abriu sobre a controversa temporada final de Game of Thrones.

É altamente improvável que algum dia agradássemos a todos“, explicou o ator. “As chances são de que iríamos agradar a uma fração das pessoas… Quase não conseguimos vencer. Quase significou muito para as pessoas ficarem realmente satisfeitas. E quem sabe, quando as feridas cicatrizarem um pouco em daqui a alguns anos, talvez as pessoas o reavaliem e possam vê-lo como uma coisa completa.

O ator também discorda dos fãs que acreditam que os criadores e estrelas da série não se importaram o suficiente na temporada final.

Se eles não se importassem, eles não escolheriam ficar em um campo em Belfast às 3 horas da manhã por meses a fio”, disse ele. “Eles queriam torná-lo o melhor possível, e é uma pena que as pessoas não gostaram, porque nós tentamos entregar o nosso melhor para fazer algo muito especial.

A produção terá Ryan Condal Miguel Sapochnik como showrunners. Idealizada pelo próprio George R.R. Martin, o programa terá dez episódios para a primeira temporada.

O elenco ainda contará com: Matt Smith, Paddy Considine (“The Outsider”), Olivia Cooke (“Jogador Nº 1”), Rhys Ifans (“O Espetacular Homem-Aranha”), Steve Touissant (“Príncipe da Pérsia”), Sonoya Mizuno (“Devs”) e Graham McTavish (“Preacher”), entre outros.

Veja também:

House of the Dragon chegará em 2022 ao HBO max, mas ainda em data não definida.

By Amauri Alves

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante (...) Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo