Upload: Realidade Virtual/Prime Video - Reprodução

Com muita sobriedade, bom humor e interessante perspectiva sobre assuntos relevantes, chegou a Prime Video a leve segunda temporada de “Upload: Realidade Virtual”. O programa criado por Greg Daniels (“The Office”) busca pela simplicidade do discurso em seu novo ano, aprofunda a hermenêutica e acerta no campo filosófico das coisas.

Fazer comédia é extremamente difícil. Esse papel não é para todos, até um bom roteirista precisa está atento as várias entrantes na “piada”, principalmente quando se busca a decência nas falas, sem comprometer a integridade psicossocial do indivíduo ou de um grupo. E diante desse desafio, Daniels lança-se com um humor atual sobre a série “Upload: Realidade Virtual”. É bem verdade que o programa da Amazon não está nos mais assistidos, ou comentados das redes sociais, mas a criatividade é posta à prática à cada novo episódio e conforta o apreciador de um bom produto.

De maneira irreverente, a série “Upload” trata da tecnologia, o homem – como ser complexo – e lógico, o sentido para vida e morte. Brincando com a imaginação, o programa transcende a reflexão sobre a conduta ética das coisas e acaba acertando no improvável, sem atropelos ou força. Nessa nova jornada, Nathan Brown (Robbie Amell) que ainda está a procura de seu assassino compreende entende e deixa-se entender que a aventura pode ser traduzida pela busca de quem se ama. Tah… tudo isso parece cafona, mas é. O problema aqui é a condução equilibrada e possibilista de Daniels – coisa que ele não fez em “Space Force”, da Netflix.

No entanto, o programa não vive só de acertos. Obviamente que alguns erros ou “buff’s” estão pelo caminho. Nem sempre a maneira jocosa de criar personagens funcionará, nem sempre as tramas satélites serão amarradas ou bem desenvolvidas, mas elas parecem pequenas quando olhamos o discurso sem rusgas sobre assuntos tão sérios. Com um corte legal, bem editado e fotografia na base do “OK”, “Upload: Realidade Virtual” consegue engatar um bom segundo ano. Por conseguinte, é importante avaliar que o programa talvez tenha atingido seu ápice – o próprio criador do precisa compreender bem isso – caso contrário fracassará pelo tempo.

Caricato como Luke (Kevin Bigley), emocionalmente forte como a Nora (Andy Allo) e equilibrado como Nathan (Amell) – entre o drama e humor -, “Upload: Realidade Virtual” é assertivo, e deve encantar o público nesse novo ano. Melhor que o primeiro, mais maduro, envolvente, tudo isso baseado num discurso leve, inteligente, espirituoso e sagaz, a série é uma delicia de ser acompanhada. Greg Daniels não tem o seu melhor trabalho em mãos, mas certamente é melhor se comparado aos últimos anos seus.

 

Classificação:

Leia também, outras críticas nossas:

A 2ª temporada da série “Upload: Realidade Virtual” encontra-se na Prime Video.

By Amauri Alves

Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante (...) Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo