Bala Perdida (2020) | Crítica

Todo o cinema de ação precisa de adrenalina para funcionar. Não importa se isso venha dos atores, dos movimentos de câmera, da encenação, da edição… não importa! Alguns filmes são conhecidos por alguns desses fatores, por mais de um, o que interessa é ter adrenalina. Para Bala Perdida da Netflix isso soa como essencial, parece nem querer dar chance de não acertar. Desde seu pôster quanto seu trailer são direto ao ponto. Este é um verdadeiro filme de ação. Confira prévia:

Já na primeira cena, quando o ladrão interpretado por Alban Lenoir mostra tanto sua técnica quanto sua falha, vemos que o que nos espera. E falei o nome de Lenoir porque ele importante demais para o que o diretor Guillaume Pierret consiga ser eficiente. O ator é dublê e claramente vemos as ideias dele pelas mãos do Guillaume. O que o ator se propõe nas cenas com seus limites e perigo como dublê é ao mesmo tempo que angustiante bem mais instigante. Essa mistura pode ser fatal quando estamos fazendo filme pois tudo que vicia é pode degradar.

É degradante é saga do personagem interpretado por Lenoir, parece que estamos diante a todo momento de sua morte. E parece que o filme feito por Guillaume o acompanha em todos os momentos, um erro por estarmos vendo coisas que enchem linguiça, o que queremos é adrenalina.

Mas não estou chamando o filme de longo, ele tem e faz o que os filmes de ação deveriam sempre fazer e ter: o tempo certo.

Bala Perdida/Netflix – Reprodução

Quando acaba depois daqueles insanos 15 minutos finais precisamos de um tempo para respirar. E poderíamos somar mais um fator aqui que é a precisão de saber quanto cada cena deve ter. É realmente cirúrgico a transição em algumas partes, como o tédio consegue virar fogo tão rapidamente.

Curioso para ver o que esses dois (Lenoir e Pierret) vão nos trazer futuramente, essa estréia faz essa parceria merecer ser vista de perto. Só espero que Lenoir não queria também exagerar nas loucuras com aquele carro, por mais que a vida seja a arte, a arte precisa da vida pra existir. Que homem mais doido!

Classificação:

Veja críticas de algumas das produções ligadas a Netflix:

O filme Bala Perdida chegou à Netflix no dia 19 de junho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *