Conheça “O Mandarim”, um dos antagonistas de Shang-Chi | Raio – X #22

Estreando na HQ Tails of Suspense n°50 em 1964, fruto do trabalho combinado de Dom Heck e Stan Lee; e nunca tendo sua identidade revelada, “O Mandarim” é um dos vilões mais antigos do universo Marvel, e apesar de haver enfrentado diversos heróis no decorrer dos anos, surgiu como Nêmesis do Homem de Ferro, e sua origem fora contada mais de uma vez, tendo uma vertente clássica e outra mais moderna, porém em determinado momento, ambas convergem.

Em sua origem clássica é filho de uma aristocrata inglesa e um rico fazendeiro chinês que descendia diretamente de Gengis Khan (Fundador do Império Mongol), porém ficou órfão muito cedo, sendo criado por uma rígida tia, que empenhou sua fortuna em treinamentos nas artes do combate e das ciências diversas, para o garoto. O pouco que lhe restou, foi tomado durante a Revolução Chinesa, onde seus bens foram confiscados.

Sem mais nada a perder, o jovem resolve explorar o proibido “Vale dos Espíritos” e durante suas buscas depara-se com uma nave espacial danificada que tinha um peculiar formato de dragão. E é nesse ponto em que as origens convergem. Em uma origem mais recente, de 2010 (nas mãos do roteirista Matt Fraction), era filho de uma prostituta inglesa no interior da China, a criança era forçada a trabalhar desde cedo, até que sua mãe morre numa overdose de ópio, momento em que ele se revolta e mata o cafetão acreditando ser seu pai e foge, embrenhando-se no Vale dos Espíritos (momento da convergência das origens); quando depara-se com a nave Alienígena de origem do planeta Maklu IV (Os Makluanos, são seres alienígenas com forma de dragões chineses, sendo seu maior expoente Fin Fang Fun, outro vilão do Homem de Ferro). Admirado, passa a investigá-la, ficando perplexo com seu funcionamento e em especial com os 10 cilindros de energia, fonte de alimentação da nave. Neste momento é alertado por um tripulante ferido pela queda, Axonn-karr, acerca da importância e perigos dos cilindros; mas o jovem termina por matá-lo, para em seguida se apoderar dos cilindros, examinando mais atentamente a tecnologia Makluana e passando a utilizá-la como anéis em seus dedos, adquirindo poderes inimagináveis.

A partir de Então passou a apresentar-se como “O Mandarim”, descendente de Gengis Khan, e é quando iniciam-se seus planos de conquista mundial. Vendedor de armas, mundialmente requisitado, porém seu interesse em tecnologia armamentista é tão somente para vira-lá contra seus oponentes e via de regra contra as indústrias Stark e o Homem de Ferro. Inclusive é ele quem está por trás do rapto de Tony Stark e do Dr Yinsen, com o objetivo de melhor desvendar a tecnologia Makluana, o que no fim acabou por resultar no surgimento do Vingador Dourado; o que também é confirmado no UCM, ja que a organização dos Dez Anéis assume a autoria do atentado/sequestros.

“O Mandarim” em HQ do Homem de Ferro/Marvel Comics – Reprodução

Na saga, “Atos de Vingança”, alia-se ao tentáculo, a fim e invadir a mente de Psyloque, transformando-a na Lady Mandarim, a fim de  destruir o que restara dos mutantes (os x-men estavam dados como mortos), sobrando pro Caolho (Wolverine), Jubileu e a própria Psyloque, combaterem o vilão.

Nos anos 90 forja uma parceria inusitada com seu inimigo, homem-de-ferro afim de combater os dragões Makluanos, que invadiram a terra em busca dos anéis, a fim de conquistar o planeta, sendo repelidos após uma grande explosão do poder combinado de todos os anéis, o que lhe custou suas mãos.

Ele também teve um filho, Temugin, que cresceu isolado do mundo em um monastério Himaláio; e após uma das batalhas em que o Mandarim foi dado como morto, Temugin recebe um pacote contendo suas mãos cortadas ainda de posse dos poderosos anéis; o que atiçou a ira de Temugin, que buscava proteger o nome e legado de seu pai. Mas após alguns confrontos com o Homem de Ferro, passou a rever suas atitudes, e deixou de lado a vida vilanesca, passando a agir como um dos “Agente da Atlas”.

Muitos acreditam ser Magia o poder do Mandarim munido de seus dez anéis, quando na verdade é manipulação de tecnologia alienígena a responsável por lhe conferir tais poderes.

Nos quadrinhos, os anéis tem funções distintas e poderes diversos, dentre os poderes, podemos citar: onda de frio, criação de Ilusões, destruição de átomos, ampliação da escuridão descargas elétricas intensificação da mente, feixes de vortex, luz/radiação, impacto, entre outros. Ele também dispõe de um link psíquico com seus anéis, podendo sondar os arredores e controlá-los a distância, além de utilizá-los combinados uns com outros.

Curiosamente, após muitos anos, tomamos conhecimento de que cada anel continha a alma de um guerreiro cósmico lendário.

E apesar dos poderes quase divinos advindos dos Anéis; o Mandarim é também especialista em manipulação de sua consciência corporal, além de hábil combate corpo a corpo treinado em diversas artes marciais e munido de uma gama de conhecimento científico e histórico, além de ser um bem-sucedido homem de negócios tanto no submundo quanto na alta sociedade.

“O Mandarim”/Marvel Comics – Reprodução

No decorrer dos anos o mandarim já foi dado como morto por diversas vezes, mas sempre retorna renovado após um período sabático vilanesco. Em sua última aparição, forjou uma aliança com o Barão Zemo, ao tornar-se representante diplomático da nação de vilões chamada Bagália, com o intuito de que a ONU a reconhecesse como nação soberana, a fim de angariar recursos internacionais para financiar seus propósitos obscuros. Porém, durante um discurso em uma assembléia da ONU, o Mandarim é alvejado por uma arma especial da Hydra, utilizada pelo Justiceiro, e (aparentemente) morre. Frank então entrega seus anéis ao Dr. Estranho.

Já no UCM, o Mandarim foi inicialmente apresentado como um terrorista, em homem de Ferro 3, na pele do ator Ben Kingsley, contudo, não passou de um engodo orquestrado pelo vilão do filme, Aldrick Killian. Na realidade o falso Mandarim, tratava-se de um ator charlatão chamado Trevor Slattery; o que de certa forma desapontou os fãs da franquia, que almejavam um embate entre o Homem de Ferro e seu arqui-inimigo. Tal plot pegou muito mal perante o público, que a Marvel, visando de certa forma corrigir tal erro crasso, lançou um curta-metragem denominado “All hail the king” no qual o personagem de Kingsley era alertado acerca da existência do verdadeiro Mandarim e que esse não ficou satisfeito com tal encenação.

Ben Kingsley/O Madarim/Homem de Ferro 3/Marvel Studios/Disney – Reprodução

De certa forma foi tal confusão que abriu espaço para que a Marvel buscasse uma maneira inteligente de introduzir o personagem no universo cinematográfico, e diante disso nos é apresentado em “Shang Chi e a lenda dos dez anéis”, When U, o verdadeiro Mandarim, vilão do longa (interpretado por Tony Leung) e painho de Shang Chi, que vem assumindo diversas identidades com o passar dos anos e é quem verdadeiramente dá as cartas na organização criminosa dos dez anéis. No filme Os anéis foram adaptados como braceletes de luta e a origem dos artefatos ainda é um mistério.

Shang-Chi/Marvel/Mandarim de Tony Leung – Reprodução

Breve descrição: “Em ShangChi e a Lenda dos Dez AneisChi é um jovem chinês criado por seu pai em reclusão, sendo treinado em artes marciais. Quando ele tem a chance de entrar em contato com o resto do mundo, logo percebe que seu pai não é o humanitário que dizia ser, vendo-se obrigado a se rebelar”.

Veja também:

Simu Liu está no papel principal e o filme [que possui 2h e 12 min de execução] também contará com Awkafina Tony Leung. Com direção de Destin Cretton (“The Glass Castle”) e; roteiro de David Callaham (“Mortal Kombat”) e Jim Starlin (“Batman – Morte em Família”), o longa Marvel encontra-se nos cinemas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *