Greyhound: Na mira do inimigo (2020) | Crítica

Com produção da Sony Pictures e o Studio 8, chegou ao serviço de streaming da Apple, o épico Greyhound: Na mira do inimigo. Baseado num romance de 1955, o longa traz a história do lendário USS Greyhound sob liderança do Cap. Ernest Krause (Tom Hanks). Confira prévia:

O filme deveria ser lançado nos cinemas, mas a pandemia do novo coronavirus trouxe a produção para o Apple TV+ e sim, é uma grata surpresa. O diretor Aaron Schneider foi cirúrgico nos cortes, não enrolou o espectador, com bom dinamismo e ótimo enredo, o cineasta trouxe todos os ingredientes necessários para um bom filme.

Estamos na Segunda grande Guerra Mundial, em oceanos turvos e geladas no Atlântico Norte, e o Cap. Krause enfrenta um grande desafio, um esquadrão subaquático está destruindo um a um, dos companheiros de fragata americana. E como uma alcateia de lobos, os submarinos alemães preparam investidas sem fim aos navios da Tríplice Entente.

A habilidade e a determinação do Cap. Krause dá vida e grandes contornos ao enredo. Com a dramaticidade idealmente bem construída, vemos um Tom Hanks super-confortável à frente do longa. E esse efeito, proposital ou não, arrebata o espectador, o chama para mais perto do protagonista, envolvendo e condensando emoções que transbordam cena, após cena, numa trama confinada em meio a guerra.

Greyhound: Na mira do inimigo/Sony/Apple TV+ – Reprodução

E como um bom filme do gênero, faz-se necessário que os componentes técnicos se sobressaíam, desde a mixagem e edição de som, aos efeitos visuais, e Greyhound: Na mira do inimigo satisfaz as expectativas, todavia, o ponto mais alto na trama está na forma de contar a história. Direto, mas profundo emocionalmente, perspicaz, ‘fechadinho’ e extremamente coeso, o filme evolui bem, ganhando o espaço desejado entre as boas adaptações dos livros para a indústria cinematográfica. Portanto, o trabalho foi muito bem feito, principalmente quando associado a bela montagem empreendida no filme.

Há atropelos no longa? Sim. Ha erros? Sim. Poderíamos visualizar grandes cenas de guerra, de ação? Sim. Todavia, Greyhound: Na mira do inimigo funciona bem, é uma daquelas boas histórias que prendem o espectador no sofá. Sem sustos, fazendo-se ótimas escolhas e liderados por Hanks, o longa merece ocupar a nossa lista de bons filmes nesse ano caótico.

Classificação:

Veja outras críticas nossas:

Greyhound: Na mira do inimigo encontra-se disponível no Apple TV+.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *