Martin Scorsese reitera sentimento sobre filmes da Marvel | Editorial

E quando você acha que a treta acabou, ela vai se prolongando no espaço e tempo!!!

Ainda na primeira semana de Outubro, o renomado cineasta Martin Scorsese (Táxi Driver, Os infiltrados, O Lobo de Walt Street) falou que “não considera as produções da Marvel como Cinemae sim como grandes parques temáticos” [Veja a matéria completa aqui], o que notadamente ocasionou um grande rebuliço no meio artístico.

Primeiro, James Gunn se contrapôs ao mestre, afirmando: “Estou triste por ele estar julgando os meus filmes da mesma maneira” [Veja a matéria completa aqui], depois tivemos palavras Samuel L. Jackson, Robert Downey Jr. e outros atores e cineastas dentro e fora do MCU defendendo o seu “ganha pão” e criticando as duras palavras de Scorsese.

Mas também, teve ator que concordou com o tema levantado pelo diretor, na realidade atriz, Jennifer Aniston, a Rachel da série Friends, falou: “Você vê o que está passando por aí [nos cinemas] e só está diminuindo e diminuindo, são só filmes grandes da Marvel”. Ela ainda completou: “realmente não estou interessada em interpretar em frente a um fundo verde”.

E para ainda ver o circo pegar fogo, Martin Scorsese voltou a ampliar o debate. Durante sessão do filme “O Irlandês” no Festival de Londres – Inglaterra, o diretor do longa reiterou as suas palavras, comparando os filmes a parques de diversão. Confira: “O valor de um filme se aproxima e muito a um parque temático, por exemplo, os filmes da Marvel, os cinemas são tomados por produções que se comportam como parques de diversões, é uma experiência diferente”, disse ele.

E Martin Scorsese voltou a repetir: “Isso não é cinema, é outra coisa. Se você concorda com isso ou não, é outra coisa e não devemos ser invadidos por isso, e isso é um grande problema, e precisamos que os donos dos cinemas avancem para permitir que os cinemas mostrem filmes narrativos. Filmes”, pontuou o cineasta.

Não sabemos onde isso vai parar… Mas, cresci sem muitas produções do gênero de herói nos cinemas, e quase nada nas telinhas, e hoje fico feliz dos mais jovens, e os não tão mais jovens assim, com eu, podermos acompanhar todos esses filmes, essa boa safra advindas das HQ’s e Mangás para os cinemas, seja um produto Marvel, Vertigo, DC, Mauricio de Sousa e muito mais. E sinceramente, quando assisto a um filme, uma série, procuro identificação pessoal, extrair o máximo de sentimentos daquela produção, seja entretenimento, inspiração ou reflexão e se os filmes da Marvel ou de qualquer HQ me trazem isso, sim, pra mim é cinema, e se os filmes de Martin Scorsese também trazem, é cinema do mesmo jeito.

Essas disputas de egos só comprovam o quanto somos “pequenos”, preconceituosos e até mesquinhos. Ou a comida feita num fast-food, ou na barraquinha de Seu Zé, ou em casa, não possuem o mesmo valor e emoção que num chique bistrô? A experiência é algo intangível, o que pra mim é interessante, pra outros podem não ser, mas devo respeitar e lutar para que todos tenham acesso a isso, e com o cinema não é diferente. Se o seu filme é um fracasso, e não leva ninguém as salas de exibição, se reinvente, crie algo novo, faça diferente, como os filmes de heróis fizeram e não procure defeito filosófico e existencial nos outros, EVOLUA.

Enquanto isso, o Marvel Studios segue firme com produções na fase 4 [Saiba Mais], além de ter feito muito dinheiro com Vingadores 4 [Saiba Mais].

Já “O Irlandês” de Martin Scorsese que terá 3h30 de duração, chegará no dia 27 de Novembro à Netflix.

  • Filme de Scorsese atinge nota incrível no Rotten – Saiba Mais.
  • Veja o último trailer do longa – Saiba Mais.

Fonte: CB

O que vocês acharam desse editorial??? Deixem os seus comentários logo abaixo…

Curta a nossa página no Facebook!!!
Siga-nos no Instagram e no Twitter !!!
E continue acessando o nosso Site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *