Psicológico e Produção: devemos nos cobrar neste momento?

Este texto é principalmente para aqueles que já estavam antes da pandemia e quem hoje está em home office. Quem trabalha com tecnologia, alimentando redes, aulas EAD… E também aqueles que tiveram de se adaptar a isso.

Estar afastado de tudo e todos não é uma opção viável por vivermos em sociedade e complicado mais ainda trabalhar com tantas preocupações, tanta cautela, tantas incertezas. Eminência de dispensa, cobranças maiores nos trabalhos para sobreviver. Com tanta pressão psicológica, produzir é algo que passa na nossa cabeça? Tudo que necessita de criatividade, imaginação, soluções lógicas dão lugar às neuras e vivência de um dia de cada vez. Nisso, para aliviar a tensão, lo-fis, streaming de músicas, podcasts, filmes e séries, ficaram mais populares. Aquele cochilo na hora do almoço, aquela não urgência de pegar transporte, o conforto de trabalhar com roupas normais. E ainda não, suficiente. Desde quando, estamos sufocados?

Já havia um desgaste sobre trabalhos muito antes de tudo isso acontecer. Desvalorização, falta de reconhecimento, o dinheiro que não dá no fim do mês, sobre como lidar com tudo e não chutar o balde, transporte cheio, cansaço alimentação ficando mais cara a cada dia… e isso ainda continua. E estar trabalhando de casa, ainda pode se considerar privilegiado por não estar exposto. Você deve estar falando “aí, que saco, tudo é pandemia”. Pergunto: se souber o dia que acaba, paro de falar. Mas enquanto não, isso estará em nossas cabeças e estará marcado por gerações que irão dizer que tiveram de estudar e trabalhar em meio ao caos e luto, tendo de tocar a vida neste cenário que não é ideal para manter o mínimo de sanidade mental.  

Este editorial não é de autoajuda, mas se te ajuda em algo: não se cobre. Os dias estão difíceis para todos. Estamos mais esquecidos, nervos à flor da pele, seguimos todos os dias com notícias péssimas e absurdas (direta para aqueles que aglomeram e espalham mais ainda o vírus). Estamos todos cansados, estamos em estado de alerta mais um ano, temos de ser mais detalhistas.

Não devemos jamais nos pautar por um dia que não estamos bem, ou que as coisas não estão funcionando. Tirar um dia para organizar as coisas, fazer mais lentas, praticar um novo hobby, se desligar, se dar um desconto para si mesmo. Ser franco com o chefe (arriscado? Claro, mas mostra que tu é sincero), os professores, as pessoas ao seu redor. Se necessário, perceber que tu não está se sentindo a mesma pessoa, procurar profissionais especializados para fazer um acompanhamento, e durante a pandemia, no seu estado, existem clínicas com preços populares que fazem acompanhamento via videoconferência.

Ligue seu som alto, dance, cante, faça sua performance, tire suas fotos do fundo do baú, ligue para seus amigos que não fala faz tempo. Tira teu cosplay e faz novas fotos, escreve seus pensamentos. Desliga tudo e observa o dia. É sobre viver. Não estão sozinhos.

 

Veja outros editoriais nossos:

One Reply to “Psicológico e Produção: devemos nos cobrar neste momento?”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *