Sem Remorso (2021) | Crítica

A Prime Video tem sido uma parceira da Paramount Pictures neste período de pandemia, boa parte dos filmes que levam o selo do estúdio, estão sendo distribuídos pelo streaming, fato esse que se aplica à “Sem Remorso”, de Michael B. Jordan (“Creed”, “Pantera Negra”). Confira prévia:

“Sem Remorso”, da Skydance, é um daqueles filmes norte-americanos que bebem de uma fonte quase que inesgotável quando o assunto é espionagem, inteligência e sim, conspiração, a série de livros de Tom Clancy’s. E para este específico caso, homônima até. O longa conta a história de John Kelly (B. Jordan), um fuzileiro militar treinado para cumprir com maestria as missões “pseudo-pacifistas” americanas em solos estrangeiros. Mas, algo que o próprio filme ensina, é que na verdade, cada soldado não passa de um mero peão no grande tabuleiro de jogos políticos. E Kelly será mais um efeito colateral, dentro de muitos, a ser controlado pelo Estado.

Esta nova adaptação de Tom Clancy’s, de certo modo, funciona. Mas, mantém o tom genérico quando comparado à outras produções fabricadas na década passada, também extraídas dos contos do célebre autor. As cenas de ação de “Sem Remorso” são bem construídas, coreografadas, com requintes de crueldade pontuais. Além disso, o novo longa serve para reforçar o quanto B. Jordan é um ótimo ator. Claramente, o protagonista John Kelly dele é superior a outros, criando até uma identidade empática com o espectador. Mas, é necessário extrair mais do astro, e o enredo não o fez.

Todavia, o longa “respira por aparelhos”. Trazer uma trama corriqueira, esperada pelo público, sem grandes reviravoltas é uma decisão no mínimo perigosa e nada criteriosa. Pois, você acaba demonstrando certo desdém com o espectador. O diretor e roteirista Stefano Sollima apostou nas figuras “tarimbadas” do elenco, como B. Jordan e Guy Pearce (“Homem de Ferro 3”), para se fortalecer o longa, mas deixou claro, a sua falta de habilidade narrativa, apesar do longa não apresentar graves erros técnicos. Ahh! E por falar no astro Pearce, pouco vimos do Secretário de Defesa dos Estados Unidos. O que corrobora com o problema narrativo citado acima. Outro problema que deva ser apontado são as cenas a noite – não aprenderam com o episódio de Game of Thrones na temporada final – por vezes não se dava pra se enxergar.

“Sem Remorso”, da Amazon Prime Video, tentou fugir dos mesmos erros de produções inspiradas nas obras de Tom Clancy’s, a ação predatória e impositiva do sentimento americano – sobre o que é ou não certo – para a humanidade, mas não ousou, não deixou tão claro o que gostaria de falar, de arguir, o que de fato é real, o quanto o sentimento de “liberdade assistida” pelo “Tio Sam” é tão maquiavélica como qualquer ação dantesca de um mísero ditadorzinho de país de terceiro mundo, a diferença está nas ferramentas de poder utilizadas. Com boa tecnicidade, o filme da Paramount Pictures é interessante, mas para emplacar, precisará respirar a nova geopolítica mundial.

 

Classificação: Círculo de Fogo: The Black

Veja críticas de algumas das produções ligadas à Prime Video:

O longa “Sem Remorso”, baseado na série de livros de Tom Clancy’s, encontra-se na Amazon Prime Video.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *